Jogos eletrônicos X Comportamento infantil

Hoje em dia muitos pais chegam aos consultórios de psicologia reclamando do comportamento de seus filhos. Dizem: “Meu filho é hiperativo; é agressivo na escola; não consegue se concentrar; tem déficit de atenção; tem dificuldade de aprendizagem…” enfim as reclamações são muitas e estão aumentando cada vez mais à medida que os anos passam.

Será que podemos afirmar que o comportamento destas crianças pode estar relacionado com o que vêem e/ou jogam? A resposta é SIM! Os jogos eletrônicos muitas vezes consomem uma quantidade considerável de tempo de uma criança e produzem efeitos negativos. Vejamos alguns deles:

  • Isolamento social: de acordo com o National Institute on Media e da Família, crianças que gastam uma quantidade de tempo jogando videogames podem tornar-se socialmente isoladas. Muitas vezes, elas acabam gastando a maioria de seu tempo na frente do computador ou jogo e tornam-se menos envolvidos em relacionamentos reais.
  • Violência: apesar da violência nos jogos de vídeo ser uma preocupação entre alguns pais e a sociedade, sua quantidade não tem abrandado, pelo contrário tem sido cada vez mais real. Esta repetida visualização de atos violentos cometidos pelo jogador, bem como as recompensas dadas para cometer estes atos, pode dessensibilizar as crianças a este comportamento inaceitável no mundo real.
  • Problemas de concentração e irritabilidade: segundo o professor de neurologia (Akio Mori) da Universidade Nihon de Tóquio, os jogos eletrônicos afetam a atividade da zona do cérebro responsável pelas emoções. Segundo Mori, aqueles que costumam jogar entre duas e sete horas por dia deixam de emitir ordens cerebrais do tipo “beta”, que são responsáveis por medir a atividade do lóbulo frontal, e este controla as emoções. Assim, quando o nível de ondas beta diminui, as pessoas se irritam com mais facilidade e apresentam problemas de concentração, explicou o pesquisador. Isso foi comprovado após estudos realizados com 240 pessoas.

__________

Estes são apenas três exemplos do que os jogos de vídeo causam, porém o prejuízo pode afetar as diversas áreas da vida, explica o psiquiatra Daniel Spritzer. E, especialmente para as crianças, a esfera escolar é geralmente a mais afetada.

ATENÇÃO:

Não tenha medo de colocar limites para seus filhos, você estará contribuindo para seu desenvolvimento físico e mental e principalmente para seu bom comportamento. Lembre-se que o cérebro das crianças ainda não está totalmente formado, e assim, elas têm mais dificuldade para controlar seus impulsos, confirma a neuropsicóloga Adriana Foz. Por isso, fique atento com o que seu filho está vendo e jogando, pois isso terá uma influencia muito grande no modo dele comporta-se.

E para concluir veja o que o salmista Davi disse em Salmo 101: 3 – “Não porei coisa injusta diante dos meus olhos”.

 

Por Fernanda Santos – Mente Saudável, vida feliz!
Psicóloga

Referências:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2002-07-12/excesso-de-jogos-eletronicos-de-video-afetam-atividade-cerebral

http://www.talkheroes.com/como-os-jogos-eletronicos-afetam-criancas.html

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,uso-excessivo-de-jogos-eletronicos-pela-geracao-digital-preocupa-pais,675835,0.htm

Gostou deste conteúdo? Então faça o download do nosso livro digital gratuito...

Gostou deste conteúdo? Então conheça agora o nosso método para se tornar vegetariano...