Firmeza imutável – por Tháles Oliveira

“E então resolveu Daniel firmemente a não se contaminar com as iguarias do rei.” Daniel 1:8
“E em todos os assuntos […] foram encontrados dez vezes mais sábios.” Daniel 1:20
Por que Daniel escolheu a dieta aparentemente inferior à que era oferecida pelo rei? Logo depois lemos que ele e seus amigos foram encontrados 10 vezes mais sábios que qualquer um! Não foi só uma questão de escolher mas também de permanecer firme em sua decisão, independentemente das circunstâncias.
Com frequência enfrentamos situações das quais acabamos agindo impulsivamente. São os mais diversos casos, pode ser aquela vez em que deixamos os princípios alimentares de lado em um encontro familiar… quando pensamos que só um pouco de condescendência não fará mal algum em uma festa de amigos… ou ainda, com o medo de sermos taxados de fanáticos, deixamos de expressar nossas convicções ao sermos questionados.
Gostaria, caros leitores, de fazer algumas considerações e perguntas… e não as faço com o objetivo de acusação, mas com o objetivo de reflexão; uma reflexão a qual eu mesmo também confronto todos os dias.
Quais têm sido os nossos princípios? De onde (e de quem) eles vêm? Quanto temos lutado por eles? Indo além, será que temos trocado nossos princípios por nada?
O caráter de Deus
Se colocarmos essas questões paralelamente à vida de Daniel, obtemos algumas conclusões interessantes e, o principal, aprendermos com Aquele que é o único com o caráter perfeito: Cristo.
As circunstâncias sob a qual Daniel e seus amigos estavam não eram nada favoráveis. Cativos em uma terra estranha, longe de qualquer tipo de conforto e ainda escolhidos para ministrar serviços diante de um rei que tinha princípios totalmente contrários aos que eles tinham como certo. E não para por aí! Eles sabiam que qualquer oposição às ordens do rei não seria tratada de boa forma.
Mas, apesar de tudo isso, eles não venderam seus princípios. Não trocaram os valores que tinham por regalias desta terra, ainda que a punição fosse a morte. E o que isso tem a ver com alimentação e saúde? Tudo!
O caráter que Daniel e seus amigos professavam ter foi provado por meio do apetite, o mesmo fator pelo qual Eva foi tentada e caiu. Satanás tenta inverter, a cada instante, nossas decisões. Deus se comunica conosco por meio do Espírito Santo para que possamos ter uma mente ordenada e, consequentemente, o domínio próprio em relação a tudo que comemos ou fazemos em nosso corpo; Satanás nos influencia para decidirmos de acordo com nossas inclinações carnais, desequilibrando nossa mente e por fim corrompendo nossa vida espiritual. Daniel tinha em mente que “Pelo apetite, Satanás controla a mente e o ser todo.” (Conselhos sobre o Regime Alimentar, p. 167) e por um espírito de abnegação, negou a se contaminar com iguarias do rei. Essa negação permaneceu durante todo o tempo, pois Deus queria demonstrar, em meio a uma nação pagã, que é possível ter o caráter de Cristo, pois sabemos que Cristou negou-se à si mesmo durante toda sua vida, inclusive no apetite.
Mais que vencedores
Isso significa que o fato de eu seguir a dieta original de Deus um “ponto positivo” é acrescentado em meu nome? Não. Significa que posso julgar a outros? Não. Mas é por meio do apetite que Deus testa nossa abnegação e nos dá oportunidade de vermos onde estamos errando. Se rendermos nosso “eu” a Deus, Ele fortalecerá nosso espírito e, por consequência, teremos uma mente ordenada e um corpo consagrado a Ele, cumprindo nosso desígnio de apresentar “nossos corpos como sacrifício vivo, santo, aceitável diante de Deus” (Romanos 12:1).

Qual tem sido o critério para permanecermos firmes? Mudar nem sempre é agradável. Manter-se firme nem sempre é o caminho mais fácil. Sua saúde será sua escolha, a qual determinará se estará ,juntamente com Daniel, no grupo dos “mais que vencedores”.

 

Por Tháles de Oliveira – Mudança de Escolha

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...