Em vez de debater, ore – por Juliana C. Oliveira

“Não pagando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados” 1 Pedro 3:9.

Uma vez, ao encontrar um conhecido, perguntei como ele reagia aos ataques maciços de algumas pessoas com o pensamento diferente do dele, que o atacavam com palavras, o enredavam em “debates” que mais pareciam massacres ou inventam palavras que ele jamais dissera. Para minha grande surpresa ele me disse que quando alguém discordava de suas ideias ele analisava a disposição da pessoa – se era um tom saudável buscando sua opinião, ele falava abertamente; se o tom era de debate direcionando ameaças ou com ideias já concebidas, ele simplesmente dizia para a pessoa que não discutia esse tipo de assunto – e, ao chegar em casa, orava por ela. Fiquei impressionada ao ver alguém com o espírito de Cristo, que mesmo em meio a tanta crítica, palavras duras e inverdades, era capaz de manter uma vida íntegra.

Muitas vezes, quando pessoas o atacam dizendo estar em desacordo, rebaixando sua opinião, a primeira reação é devolver o ataque com a mesma moeda. Mas isso está correto? Qual era o espírito de Cristo?

Ele amou a todos com “amor eterno” (Jeremias 31:3), até mesmo àqueles que O amaldiçoaram, maltrataram e crucificaram (ver Lucas 23:34). Sua vida e morte são um exemplo vivo de como devemos portar-nos em relação àqueles que nos maltratam (ver Mateus 5:44). “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” Filipenses 2:5.

“Amai, porém a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, nunca desanimado; e grande será a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os integrantes e maus” Lucas 6:35.

A discussão e o debate com o espírito de crítica geram discussões intermináveis e cansativas que não levam a lugar nenhum. Ambos saem machucados e feridos, abalando seus relacionamentos.

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão” Mateus 7:1-5.

Quando encontrar alguém que o maltrata com palavras ou atos, não retribua com a mesma medida, ore por essa pessoa. O poder da oração mudará seu coração, trazendo paz e conforto. Orando por aquele que o maltratou você tirará a raiva e rancor do seu coração e intercederá pelo seu irmão, trazendo bênçãos e mudanças para a vida dele e, principalmente, para a sua.

Por Juliana C. Oliveira

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...