Colesterol, mocinho ou vilão? – por Roger Oliveira

Nem todos sabem, mas o colesterol é uma substância necessária para o nosso organismo, sem ele não viveríamos. Ele é responsável, por exemplo, na formação da membrana que envolve as células do nosso corpo, bem como para os hormônios sexuais, entre eles, a testosterona. No entanto, o desequilíbrio na produção desse tipo de gordura pode acarretar sérias implicações no organismo.

O ponto importante a saber, é que existem dois tipos de colesterol:
– HDL (High Density Lipoprotein), o bom colesterol: Protege contra ataques cardíacos;
– LDL (Low Density Lipoprotein), o mau colesterol: Em níveis elevados, vem sendo associado a ocorrência de doenças cardiovasculares. Acidentes cerebrais e insuficiência vascular periférica fazem parte deste grupo de enfermidades, cujo denominador comum é a aterosclerose, que provoca entupimentos nas artérias e veias, ou seja, gera redução de luz e obstrução no interior das artérias e, consequentemente, diminuição do fluxo sanguíneo.

Para entender melhor o que a aterosclerose causa, também há a associação com problemas de:
– Infarto do miocárdio;
– Angina (o principal sintoma é dor intensa no peito);
– Intervenções como pontes de safena e angioplastias;
– Acidentes vasculares cerebrais.

Segundo Protásio Lemos da Luz, quanto aos alimentos mais perniciosos para os níveis de colesterol, resume-se em uma única frase: “Cuidado com as gorduras de origem animal”. Quais são? A gordura da carne e a gordura dos laticínios, presente na manteiga, nos queijos e no leite. Reduzir a ingestão desses alimentos pode significar 90% menos gordura saturada no organismo.

Recomendações para quem está com problemas de colesterol, ou mesmo para aqueles que querem evitá-lo:

– Não comer frituras, enlatados ou embutidos;
– Não comer carnes em geral;
– Eliminar os produtos derivados de leite;
– Incrementar o consumo de diversos vegetais de cor verde;
– Incluir frutas na refeição, preferencialmente no desjejum;
– Evitar os alimentos refinados: arroz branco, massas, pão branco;
– Fazer bom uso de alimentos integrais: arroz integral, massas integrais, aveia, cereais; etc;
– Iniciar um programa pessoal de exercícios, praticando algo que lhe seja agradável. Iniciar com pelo menos 15 minutos diários, e então aumentar com o passar do tempo. Isso contribuirá para que este hábito seja bem estabelecido, e o corpo possa progredir gradualmente, tanto no aspecto de disposição e resistência física, quanto na redução do mau colesterol.

Por Roger Oliveira – Eu Recomendo!

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...