Deus atende as orações de Seus filhos pedindo cura para suas doenças? – por Vanessa Rosa

Print Friendly

Vez ou outra alguém pede oração pela cura de alguma doença de um familiar ou amigo. Estes pedidos são bem mais constantes por meio das redes sociais, pois em poucos minutos é possível comunicá-los a um bom número de pessoas.

Quando o problema é mais sério, como um câncer, uma corrente de fé e oração envolve essas súplicas. Essa é uma atitude de amor ao próximo muito genuína.

A confiança em Deus é o principal remédio para que a cura aconteça. Este é realmente o caminho certo para quem deseja a cura física e espiritual.

Mas, há alguns anos, quando eu ainda não tinha meus filhos, estudamos em nosso Pequeno Grupo algo que eu nunca mais esqueci.

Deus realmente nos promete a cura, mas há uma parte que cabe a nós (ou ao doente cristão), que temos amplo conhecimento sobre as verdades bíblicas, para que possamos requerer de Deus as Suas promessas.

E, sempre que meus filhos têm algum problema de saúde eu me lembro daquele bate-papo e de textos bíblicos e textos do Espírito de Profecia que estudamos com o grupo.

É uma oportunidade de reconsagração a Deus e de aceitar a Sua vontade, quando estou no erro. Nossos filhos dependem de nós e acabam sofrendo as consequências dos nossos erros e negligências.

Na semana passada, ao entrar em meu Facebook, me deparei com um pedido pela cura de uma doença física. Eu imediatamente me juntei à rede de orações por essa pessoa que eu não conheço, mas que sei que se trata de alguém muito especial, por quem meu Jesus deu a vida.

Pedi a Deus que fosse feita a Sua vontade na vida daquele irmão. Mas, me senti tocada a lhe enviar um texto para reflexão com todo carinho e amor que Deus colocou no meu coração.

Vou compartilhar alguns desses textos com vocês. Reflita nestes textos e compartilhe quando tiver oportunidade.

  •  Deus deseja que seu povo seja sadio. É preciso ter fé para receber a cura e as promessas de Deus:

“Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor Se compadece daqueles que O temem. Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-Se de que somos pó. Salmo 103:13 e 14. Por causa do seu caminho de transgressão e por causa das suas iniquidades, os homens são afligidos. A sua alma aborreceu toda comida, e chegaram até às portas da morte. Salmo 107:17 e 18.

“Então, clamaram ao Senhor na sua angústia, e Ele os livrou das suas necessidades. Enviou a Sua palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição. Salmo 107:19 e 20.” Ellen White, A Ciência do Bom Viver, p. 225

“Deus está hoje tão desejoso de restabelecer os doentes como quando o Espírito Santo proferiu estas palavras por intermédio do salmista. E Cristo é agora o mesmo compassivo médico que era durante Seu ministério terrestre. NEle há bálsamo curativo para toda doença, poder restaurador para toda enfermidade. Seus discípulos de nossos dias devem orar pelos doentes tão verdadeiramente como os de outrora. E seguir-se-ão as curas; pois ‘a oração da fé salvará o doente’. Tiago 5:15. Temos o poder do Espírito Santo, a calma certeza da fé, de que podemos reivindicar as promessas de Deus. A promessa do Senhor: ‘Imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão’ (Marcos 16:18), é tão digna de fé hoje como nos dias dos apóstolos. Ela apresenta o privilégio dos filhos de Deus, e nossa fé deve lançar mão de tudo quanto aí se encerra. Os servos de Cristo são os instrumentos de Sua operação, e por meio deles deseja exercer Seu poder de curar. É nossa obra apresentar o enfermo e sofredor a Deus, nos braços da fé. Devemos ensinar-lhes a crer no grande Médico.” Ellen White, A Ciência do Bom Viver, p. 226.

  • Devemos ser coerentes e viver de acordo a fé que professamos. Por meio da obediência a Deus podemos pedir o cumprimento de Suas promessas:

“Mas unicamente vivendo em obediência a Sua palavra podemos pedir o cumprimento das promessas que nos faz. O salmista diz: ‘Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá.’ Salmo 66:18. Se Lhe prestamos apenas uma obediência parcial, com a metade do coração, Suas promessas não se cumprirão em nós. Temos na Palavra de Deus instruções relativas à oração especial pelo restabelecimento de um doente. Mas tal oração é um ato soleníssimo, e não o devemos realizar sem atenta consideração. Em muitos casos de oração pela cura de um doente, o que se chama fé não é nada mais que presunção.
Muitas pessoas chamam sobre si a doença pela condescendência consigo mesmas. Não têm vivido segundo as leis naturais ou os princípios da estrita pureza. Outros têm desconsiderado as leis da saúde em seus hábitos de comer e beber, vestir ou trabalhar. Frequentemente é alguma forma de vício a causa do enfraquecimento mental ou físico. Obtivessem essas pessoas a bênção da saúde, e muitas delas continuariam a seguir o mesmo rumo de descuidosa transgressão das leis naturais e espirituais de Deus, raciocinando que, se Ele as cura em resposta à oração, elas se acham em liberdade de prosseguir em suas práticas nocivas, condescendendo sem restrições com apetites pervertidos. Se Deus operasse um milagre para restaurar à saúde essas pessoas, estaria animando o pecado. É trabalho perdido ensinar o povo a volver-se para Deus como Aquele que cura suas enfermidades, a menos que seja também ensinado a renunciar aos hábitos nocivos. Para que recebam Sua bênção em resposta à oração, devem cessar de fazer o mal e aprender a fazer o bem. Seu ambiente deve ser higiênico, corretos os seus hábitos de vida. Devem viver em harmonia com a Lei de Deus, tanto a natural como a espiritual.” Ellen White, A Ciência do Bom Viver, p. 227-228.

  •  É preciso confessar nossos pecados antes de suplicar a Deus pelo restabelecimento da nossa saúde. Essas considerações também devem ser apresentadas às pessoas que vêm a nós pedindo oração por um problema de saúde:

“O pecado levou muitos deles ao ponto em que estão – a um estado de enfraquecimento da mente e debilidade do corpo. Deve ser feita a oração ao Deus dos Céus para que Sua cura venha a eles naquele momento e local, sem o estabelecimento de quaisquer condições? Respondo: não, taxativamente, não. Que, então, se deve fazer? Apresentar seus casos Àquele que conhece cada indivíduo pelo nome.

Apresentai essas considerações às pessoas que vêm pedir as vossas orações: somos humanos; não podemos ler-vos o coração ou conhecer os segredos de vossa vida. Estes são conhecidos apenas por vós mesmos e por Deus. Se agora vos arrependeis do vosso pecado, se qualquer de vós puder ver que em certo sentido tem andado contrariamente à luz que Deus vos deu, e tem deixado de dar honra ao corpo, templo de Deus, mas por hábitos errôneos tem degradado o corpo que é propriedade de Cristo, confesse estas coisas a Deus. A não ser que o Espírito Santo opere em vós de maneira especial para confessardes ao homem os vossos pecados de natureza oculta, não os segredeis a nenhuma alma.

Cristo é vosso Redentor; Ele não tirará nenhuma vantagem da confissão de vossas humilhações. Se tiverdes pecado de caráter oculto, confessai-o a Cristo, único Mediador entre Deus e o homem. ‘Se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo.’ 1 João 2:1. Se tendes pecado retendo de Deus o que Lhe pertence em dízimos e ofertas, confessai a Deus e à igreja o vosso delito, e atendei a admoestação que Ele vos deu: ‘Trazei todos os dízimos à casa do tesouro.’ Mal. 3:10. [...]” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 373-374.

“Deve-se verificar se os que querem ser abençoados com a saúde têm condescendido em maledicência, desunião e dissensão. Têm eles semeado discórdia entre os irmãos e irmãs da igreja? Se essas coisas foram praticadas, devem ser confessadas diante de Deus e da igreja. Quando os erros forem confessados, os motivos de oração podem ser apresentados a Deus com ardor e fé, na medida em que o Espírito de Deus atuar sobre vós.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 374.

  • Devemos pedir que seja feita a vontade de Deus e, confiarmos que a cura acontecerá se for para a glória dEle:

“Nem sempre, porém, é prudente suplicar cura incondicional. Vossas orações devem incluir este pensamento: “Senhor, conheces todos os segredos da alma. Estás familiarizado com estas pessoas; pois Jesus, seu Advogado, deu a vida por elas. Ama-as Ele mais do que possivelmente possamos fazê-lo. Se, pois, for para a Tua glória e o bem dessas almas aflitas, que lhes seja restabelecida a saúde, pedimos-Te, em nome de Jesus, que lhes seja restituída a saúde neste momento.” Nenhuma falta de fé é manifestada em uma petição dessa espécie.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 375.

“Na oração pelos enfermos, devemos pedir que, se for da vontade de Deus, lhes seja restituída a saúde; mas, se não, que Ele lhes dê a Sua graça para confortá-los e Sua presença para sustentá-los em seu sofrimento.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 376.

  • Alguns repousarão antes do tempo de tribulação:

“O Senhor ‘não aflige nem entristece de bom grado os filhos dos homens’. Lamentações 3:33. ‘Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor Se compadece daqueles que O temem.’ Salmo 103:13. Conhece Ele o nosso coração, pois lê todos os segredos da alma. Ele sabe se aqueles em favor de quem se fazem petições seriam capazes de suportar a aflição e a prova que sobre eles viria caso vivessem. Conhece o fim desde o princípio. Muitos serão levados a repousar antes que a prova de fogo do tempo de tribulação venha sobre o nosso mundo. Essa é outra razão por que deveríamos dizer no fim de nossa fervorosa petição: ‘Todavia não se faça a Minha vontade, mas a Tua.’ Lucas 22:42. Tal súplica jamais será registrada no Céu como uma oração falta de fé.

Ao apóstolo foi ordenado escrever: ‘Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam.’ Apocalipse 14:13. De acordo com isso, podemos notar que nem todos devem restabelecer-se; e se não recobrarem a saúde, não devem ser julgados indignos da vida eterna. Se Jesus, o Redentor do mundo orou: ‘Meu Pai, se é possível, passa de Mim este cálice’; e acrescentou: ‘Todavia, não seja como Eu quero, mas como Tu queres’ (Mateus 26:39), quão apropriado é que os seres finitos façam a mesma entrega à sabedoria e vontade de Deus!” Conselhos Sobre Saúde, p. 375-376.

Deus cura através dos agentes da natureza. Já publicamos vários artigos falando dos remédios naturais de Deus. Leia, se informe e viva sob as bênçãos do nosso Senhor. Não espere a doença te acometer para receber as bênçãos prometidas a quem obedece a Deus por amor.

Por Vanessa Rosa – Dia a Dia – uma mãe vegetariana