Comemos para morrer? Reflexões e devaneios

É engraçado como nos alimentamos para morrer. Você já se deu conta disso?A comida que temos disponível em restaurantes, em casa, ou na própria firma que trabalhamos, nos mata um pouquinho a cada dia.Nossos avós viviam até 80 ou 90 anos, e hoje se passamos dos 60 já estamos no lucro.

É impossível encontrar uma família sequer que não tenha um membro com alguma doença causada pela alimentação, como: diabetes, hipertensão ou câncer.

Comemos para morrer, e estamos morrendo lentamente, enquanto ninguém se dá conta que somos o que comemos.

Em vez de mudarmos nossos hábitos alimentares, gastamos com médicos e com remédios caríssimos. Fora as despesas com hospital, cirurgias e até o velório e o próprio caixão.

Acreditamos piamente na cura pelos remédios, mas porque não conseguimos acreditar na cura pelos alimentos?

Estamos comendo e ficando doentes, e o verdadeiro vilão dessa história continua impune.Enquanto nos contentarmos em termos uma dieta açucarada, cheia de gordura e muita carne, viveremos menos, morreremos mais cedo, não aproveitando assim o maior dom que Deus nos deu: a vida.

A Bíblia é nosso manual até na alimentação, e podemos aprender preciosas lições com a história de Daniel. Ele se destacou no reino de Nabucodonozor, em capacidade física e mental, por adotar uma dieta saudável e natural, não se contaminando com as iguarias do rei.Deus deixou escrito, a muitos e muitos séculos atrás, qual o segredo de uma mente e um corpo saudável, cheio de vigor e uma mente clara e cheia de sabedoria.

Hoje temos a escolha de viver ou morrer, ficarmos doentes ou sadios, termos uma vida longa ou curta. Está nas nossas mãos a importante decisão de mudar, deixando de lado as coisas que mais gostamos de comer, não por simples privação ou fanatismo, mas porque a vida e a saúde se tornaram tão importante para nós que temos forças suficientes para abandonarmos tudo aquilo que pode nos matar amanhã.

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...