A cilada dos jogos esportivos

Querido leitor, não escrevo este artigo como crítica, mas como advertência de algo que aparenta ser inofensivo e até mesmo bom, mas não provém de Deus. Tenha em mente ao ler este artigo que ele se refere aos que jogam ou assistem esportes competitivos profissionais, amadores, ou mesmo como brincadeira entre amigos e família. Embora haja casos mais críticos que outros, se há perdedores e vencedores estão todos na mesma situação.

Deus foi tão meticuloso ao instruir o povo de Israel que até para os soldados que fossem à batalha Ele ordenou que levassem entre suas armas uma pá para enterrar as fezes. Por outro lado, nenhuma ordem, regra ou recomendação há sobre esportes competitivos, mas há muitas advertências para que não imitassem as nações pagãs, de onde surgiram tais esportes, como parte da adoração aos seus ídolos ou como tática de guerra.

Diversão significa divergir do objetivo; a quem interessa que o cristão divirja de seu objetivo? Há muitos graves problemas nos jogos competitivos que podem arruinar o caráter daqueles que se inclinam a jogar ou assistir. Comecemos pelo cerne da questão: a quem estamos agradando quando nos dedicamos a essa prática? Jogamos ou assistimos para glorificar a Deus ou para agradar-nos? Quem está no centro dessa atividade? Como não há neutralidade, quem é glorificado?

A consequência natural da vitória no esporte é a vaidade e da derrota é o descontentamento, ambos são nocivos ao caráter. Mesmo em brincadeiras esses maus traços afloram. O inimigo não perde oportunidades! O fundamento do governo de Deus é o amor e “Aquele que não ama não conhece a Deus” (I João 4:8). Em um jogo onde o objetivo é derrotar o adversário, como é possível exercer esse dom de Deus?

O esporte é baseado no engano. A finta, o drible, o blefe, a malícia, etc. são estratégias anti-cristãs que nada tem que ver com o que o apóstolo Paulo escreve em Filipenses 4:8, “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.

O quadro comparativo abaixo mostra que o esporte competitivo é oposto ao Evangelho de Cristo:

ESPORTE COMPETITIVO

EVANGELHO

 
Origem pagã Origem divina 2 Tim. 3:16
Derrota o adversário Ajuda o próximo (mesmo inimigo) Mat. 5:43 e 44
Oculta intenções Transparente nas intenções Apoc. 14:5
Mente/disfarça Verdadeiro Tiago 5:12
Busca o primeiro lugar Busca servir Mat. 6:33 e 20:27
Ganha para vencer Perde para vencer Luc. 9:24
Competitivo Solidário Mat. 5:41
Gera rivalidade Gera união João 17:22
Cuida de seus interesses Cuida dos interesses alheios Fil. 2:4; Gal. 6:2
Faz acepção de pessoas Não faz acepção de pessoas Rom. 2:11
Exalta o homem Exalta a Deus Rom. 5: 8 e 9
Extravasa sentimentos Desenvolve o domínio próprio 2 Pedro 1:6
Apoia a evolução – o mais forte/preparado vence Confirma a criação – o dependente de Deus  vence 1 Cor. 1:27
Os primeiros serão os primeiros Os últimos serão os primeiros Mat. 20:16
Perde o pouco tempo que nos resta em diversão inútil Usa o tempo para preparar o caráter para a eternidade João 12:35

 

Este artigo não se refere à benéfica, saudável e necessária recreação que nos aproxima uns dos outros e de Deus, mas a qualquer tipo de jogo competitivo, qualquer jogo em que haja ganhadores ou perdedores, mesmo os joguinhos infantis, vídeo games, etc., que influenciam nosso caráter a fim de baixarmos a norma divina e nos unirmos ao mundo, aos bilhões de pessoas que dobram seus joelhos diante de uma tela de TV que apresenta ídolos – Baais modernos, patrocinados por fabricantes de bebida alcoólica, dentre outros, que vulgariza o sagrado corpo dado por Deus às mulheres, e muitos outros perigos mais. Lembremos do que disse Salomão em Cantares 2:15: “apanhai…as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor”.

Lutar contra a tradição, contra a educação do mundo e contra nossa própria inclinação egoísta é uma batalha que está acima de nós, mas em Cristo podemos todas as coisas (Fil.4:13), portanto, querido amigo, se o esporte competitivo e jogos perde/ganha opõem-se ao Evangelho, o que devemos fazer se queremos seguir verdadeiramente a Cristo? “Se hoje ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (Salmo 95: 7 e 8).

 

Por Mauro Carnassale – Vida Campestre

 

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...