Poluição ameaça atividades ao ar livre

Durante os exercícios o corpo precisa de mais oxigênio

Praticar atividades físicas ao ar livre é realmente mais prazeroso, mas os riscos causados pela poluição podem prejudicar os exercícios. “Durante o treino o corpo precisa de mais oxigênio e, para isso, inspiramos maior volume de ar em busca desse oxigênio adicional. Dessa forma também aumentam a quantidade de poluentes inalados e seus efeitos maléficos”, adverte o pneumologista e presidente da Comissão de Doenças Ambientais e Ocupacionais da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), José Eduardo Delfini Cançado.

O risco existe tanto em ambientes abertos como fechados. Nos fechados, a vantagem é poder controlar a temperatura e, com isto, facilitar a dissipação de calor produzido pelo corpo. Por outro lado, sistemas de ar-condicionado podem reduzir a umidade do ar e, no caso de academias localizadas em vias de grande tráfego, há inclusive o risco de ter o ar interno ainda mais poluído que o externo.

São poucos os estudos sobre os prejuízos dos gases poluentes às pessoas saudáveis. Porém, os especialistas não têm dúvidas quanto aos principais grupos de risco. “Portadores de doenças crônicas e algumas de origem metabólicas sofrem mais, portanto, devem evitar os dias de altas temperaturas e a proximidade de até 200 metros de vias mais movimentadas. A poluição, além de provocar crises, diminui a performance”, explica o também pneumologista Ubiratan de Paula Santos, presidente da Comissão de Doenças Ambientais da SPPT.

No que diz respeito à excessiva quantidade de poluentes e à concentração de ozônio nos parques de grandes metrópoles como São Paulo, o pneumologista Ubiratan de Paula Santos, explica que a situação é mais grave nos horários de maior congestionamento. “Há aumento dos gases e material particulado nos horários de pico, que chegam a ficar de 4 a 5 vezes maiores. O ozônio aumenta nos horários de maior presença da luz solar, entre 10h e 16h. Os melhores horários para a prática de exercícios ao ar livre são antes das 7h e após as 20h, momentos com menores tráfegos de veículos e radiação solar”, alerta o especialista.

Para maior segurança os portadores de doenças respiratórias, cardiovasculares e metabólicas crônicas também podem buscar informações sobre a qualidade do ar nos órgãos que monitoram o ar ambiental, como a Cetesb.

Fonte: Yahoo Saúde

Gostou deste conteúdo? Então faça o download do nosso livro digital gratuito...

Gostou deste conteúdo? Então conheça agora o nosso método para se tornar vegetariano...

Gostou deste conteúdo? Então assista esta super aula online que nós preparamos para você...

Gostou deste conteúdo? Então assista esta super aula online que nós preparamos para você...