Dicas práticas de como ser vegetariano dentro e fora de casa

Uma das coisas que me ajudou com a mudança dentro de casa foi fazer um planejamento (isto é, um cardápio) incluindo apenas alimentos saudáveis, e fazer as compras com o cardápio em mente. Acaba sendo mais fácil o preparo do alimento e também a aceitação por parte da família. Quando comecei a fazer essas mudanças meu esposo não acompanhava e minhas filhas por serem pequenas nem sempre gostavam das minhas opções 100% vegetarianas, então um dia nós tivemos um “concílio da família”, perguntei as coisas que gostavam de comer e desenvolvemos um cardápio, que incluía pratos que eles gostavam como pizza, pastel, sopa no almoço, taco, panqueca e outras opções menos comuns, mas que todos gostaram, e que no fim as vezes dão menos trabalho do que o mais convencional.

Por um tempo ocasionalmente ainda abríamos mão de coisas tipo iogurte, queijo branco, etc. E enquanto fizemos isso não tínhamos força alguma para vencer as tentações fora de casa. Senti uma grande diferença, no dia em que decidimos como família não mais comprar esses produtos. Ainda era difícil fora de casa. Mas conforme os amigos e familiares vinham à nossa casa e viam a diferença, começaram a nos respeitar melhor.

Algumas dicas que nos ajudaram, quando estávamos fora de casa:
  • Definir com antecedência os restaurantes e os pratos que vamos comer. Temos uma listinha (na mente) dos lugares e pratos que comemos em cada um deles.
  • Levar lanche ou pelo menos um patê quando sabíamos que iríamos comer fora (aí era só comprar o pão). Um dia estávamos viajando e tínhamos um patê conosco. Meu esposo entrou em uma lanchonete e pediu um sanduíche só com alface e tomate. O rapaz ficou olhando…e disse: Pão seco? Sem maionese e manteiga? Meu esposo sorriu e explicou que nós complementaríamos.
  • Levar um prato, quando vamos a eventos como festinhas ou churrasco. Com familiares e amigos a lei do amor precisa prevalecer. Enquanto eu fiquei frustrada e torcendo o nariz, quando via na mesa algo que não comia, todos me tratavam com frieza e como uma estranha. Eu cheguei a pedir perdão para minha família por ter sido assim no passado. Depois que comecei a respeitar o gosto deles, escolher o que eu comia mesmo que fosse só arroz e salada sem torcer o nariz, mas desfrutar dos momentos com eles demonstrando amor, as coisas mudaram e muito.
  • Para mim, “concessões ocasionais” também fazem parte da caminhada cristã, quando são dirigidas por Deus. Acho que quando conseguimos ser firmes em casa e na maioria dos lugares onde temos escolha é mais fácil fazê-las quando necessário, sem provocar uma recaída nos costumes da família. Quando morávamos no interior de Minas, já aconteceu de estarmos em uma visita onde se rejeitássemos algo contendo ovo, por exemplo, seria uma grande ofensa. E algumas vezes sentimos Deus nos impressionando a fazer concessões. Depois com mais tempo quando lhes explicamos nossos costumes eles ficavam até emocionados que tínhamos aceitado o que nos tinham oferecido e quando os visitávamos procuravam fazer algo que sabiam que comíamos e assim abriram as portas para uma amizade conosco.

Sei que não é fácil, mas Deus nos dá força para vencermos, sabedoria para nos organizarmos em casa e para lidarmos em situações e especiais.

Por Rute Bazan

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...