Por que Jesus comia peixe ?

Jesus não só comeu peixe, mas também é possível que tenha comido carne, pelo menos a do cordeiro pascal, nas cerimônias que tipificavam o Seu próprio sacrifício em favor da humanidade. Imagine com que solenidade era por Ele observada a festa da Páscoa! Com que contrição teria sido comida a carne do cordeiro e as verduras amargas! Certamente o oposto de um churrasco moderno, onde, em geral, a carne é usada para satisfazer o apetite.

Se Jesus nunca pecou, nem por um único pensamento (Desejado de Todas as Nações, p. 123) e comeu peixe (Lucas 24:41 e 42), então podemos concluir que comer peixe (ou carne) é correto? Certíssimo, exceto quanto ao tempo verbal. Com base nas declarações acima podemos apenas afirmar que comer peixe (ou carne) era correto naquela época.

Gostaria de voltar ao tempo dos reis de Israel e perguntar: por que Davi teve simultaneamente várias esposas e tal fato não lhe foi imputado como pecado? Poderíamos usar esse argumento para justificar a poligamia na atualidade?

Se queremos justificar nossa desobediência à expressa ordem de Deus para o povo do tempo do fim quanto à reforma de saúde (que vai muito além de não comer peixe ou carne), usando a dieta alimentar de Cristo ou de profetas antigos, podemos também justificar a poligamia usando a vida conjugal do homem segundo o coração de Deus (Davi), o que seria um absurdo!

Como não há contradição na Palavra de Deus, para harmonizar esses conceitos precisamos entender o significado de “verdade presente”. Em Testemunhos Seletos v. II, à página 412 encontramos: “As necessidades urgentes que se fazem sentir nesta época, exigem contínua educação na Palavra de Deus. Isto é, a verdade presente”. A verdade presente no tempo de Noé era pregar sobre o Dilúvio; no tempo de Jonas: a destruição de Nínive; João Batista: arrependei-vos; e assim por diante. Há muitas verdades que são para todas as épocas, mas como a luz é crescente, há também muitas verdades específicas para o tempo do fim. “Vi que os santos precisam alcançar completa compreensão da verdade presente, a qual serão obrigados a sustentar pelas Escrituras” Primeiros Escritos, p. 87.

Portanto, meu querido amigo, Jesus foi 100% fiel à verdade presente de Sua época. Foi circuncidado ao oitavo dia; foi ao templo aos 12 anos; frequentava a sinagoga (até que o expulsaram); santificava o sábado; e em tudo foi submisso ao Pai. Se vivesse hoje, certamente seria obediente a toda verdade para este tempo, e sem dúvida alguma obedeceria ao que o Espírito Santo revelou em Conselhos Sobre o Regime Alimentar, à página 380: “Verduras, frutas e cereais, devem constituir nosso regime. Nem um grama de carne deve entrar em nosso estômago. O comer carne não é natural. Devemos voltar ao desígnio original de Deus ao criar o homem”. Você acredita que Jesus, o justo, iria descumprir uma ordem tão clara vindo do trono de Deus?

“Em muitos lugares os peixes ficam tão contaminados com a sujeira que se nutrem que se tornam causa de doenças. Isso se verifica especialmente onde os peixes estão em contato com os esgotos de grandes cidades. Peixes que se alimentam destas matérias podem passar a grandes distâncias, sendo apanhados em lugares em que as águas são puras e boas. De modo que, ao serem usados como alimentos, ocasionam doenças e morte naqueles que nada suspeitam do perigo” (Ciência do Bom Viver, p. 315). Seria essa a condição dos peixes da época de Cristo? Perceba que as restrições colocadas a nós por Deus são para nossa felicidade. Deus é um Pai de amor!

Mesmo sem a permissão de Deus, os ímpios antidiluvianos comiam carne. Teria Enoque se baseado na maioria para pautar suas ações? Seguir a maioria nunca foi um guia seguro. Se quisermos fazer a vontade de Deus temos que seguir incondicionalmente o “assim diz o Senhor” e não o conselho de homens, por mais ilustres que sejam (ver Isaías 8:20).
Visto que a luz é progressiva, temos hoje maior luz do que o povo de Deus do passado, assim sendo nossa responsabilidade é maior, não só por possuirmos mais luz como também pelo exemplo deixado por eles, tanto na obediência quanto na desobediência. Conhecemos os resultados de ambas as escolhas.

A salvação é somente pela graça, mas há condições para aqueles que escolhem batalhar sob o comando do Grande Capitão permanecerem no Seu éxercito, essa condição chama-se “fidelidade”. “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida” Apocalipse 2:10; “Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito”, Lucas 16:10. E mesmo a fidelidade não é mérito humano, pois é concedida pelo Espírito, desde que escolhamos servir a Deus de todo o coração. Escolher é a parte do homem. Eu e minha casa serviremos ao Senhor, e você?

Por Mauro Carnassale

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...