Sementeiro: morrer para nascer de novo – Missionários em terras distantes

“Disse ainda: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse a semente à terra; depois, dormisse e se levantasse, de noite e de dia, e a semente germinasse e crescesse, não sabendo ele como. A terra por si mesma frutifica: primeiro a erva, depois, a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga. E, quando o fruto já está maduro, logo se mete a foice, porque é chegada a ceifa.” Marcos 4: 26-29

Uma das áreas mais bonitas que tivemos o privilégio de trabalhar é o sementeiro. Ali é possível ver o milagre da vida em uma pequena semente morrendo e nascendo uma linda muda. Tudo é realizado com muito cuidado e de forma minuciosa. A terra que abriga a semente é misturada com diversos abonos e peneirada, se tornando extremamente fina e suave. O sementeiro é um tipo de estufa onde o sol não é sentido diretamente pelas mudas que necessitam ser regadas cuidadosamente todos os dias.

Oramos muito antes de começar o trabalho e no meio do dia pedindo a benção de Deus sobre as sementes, para que Ele faça germinar e gerar lindas hortaliças, legumes ou frutas.

“Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça.” 2 Coríntios 9:10

Estudando sobre o assunto, encontrei maravilhosas citações sobre o processo germinativo de uma planta e como Deus atua nesse trabalho tão importante.

“A semente tem em si mesma um princípio germinativo, princípio este que o próprio Deus implantou; entretanto, abandonada a si mesma, ela não teria poder para germinar. O homem tem sua parte a desempenhar no produzir o crescimento da semente; mas há um ponto além do qual ele nada pode fazer. Deve confiar em Alguém que uniu a sementeira e a ceifa por laços maravilhosos de Seu poder onipotente.”

Há vida na semente, há poder no solo; mas, a menos que o poder infinito se exerça dia e noite, a semente nada nos devolverá. As chuvas devem refrescar os campos sedentos; o Sol deve comunicar calor; a eletricidade deve ser levada à semente sepultada. A vida que o Criador implantou, somente Ele a pode despertar. Cada semente brota, cada planta se desenvolve pelo poder de Deus.”

Na confiança dessa promessa o agricultor lavra e semeia. Não menos confiantemente devemos nós, na semeadura espiritual, trabalhar esperando em Sua afirmação: “Assim será a palavra que sair da Minha boca; ela não voltará para Mim vazia; antes, fará o que Me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.” Isa. 55:11. “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.” Sal. 126:6.

A germinação da semente representa o começo da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma figura do desenvolvimento do caráter. Não pode haver vida sem crescimento. A planta ou deve crescer ou morrer. Assim como o seu crescimento é silencioso e imperceptível, mas contínuo, assim é o crescimento do caráter. Nossa vida pode ser perfeita em cada estágio de seu desenvolvimento; contudo, se o propósito de Deus para conosco se cumpre, haverá constante progresso.

A planta cresce, recebendo aquilo que Deus proveu para o sustento de sua vida. Da mesma forma o crescimento espiritual é alcançado pela cooperação do poder divino. Assim como a planta cria raízes no solo, devemos nós criar raízes em Cristo. Assim como a planta recebe a luz solar, o orvalho e a chuva, devemos nós receber o Espírito Santo. Se nosso coração permanecer em Cristo, Ele virá para nós “como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra”. Oséias 6:3. Como o Sol da Justiça, Ele surgirá sobre nós com salvação “debaixo das Suas asas”. Mal. 4:2. Cresceremos “como o lírio”. Seremos “vivificados como o trigo”, e cresceremos “como a vide”. Oséias 14:5 e 7.

O trigo desenvolve-se, “primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga”. Mar. 4:28. O objetivo do lavrador ao semear a semente e cultivar a planta, é a produção do grão – pão para o faminto e semente para as futuras ceifas. Semelhantemente o Lavrador divino espera a colheita. Ele procura reproduzir-Se no coração e vida de Seus seguidores, para que por meio destes possa reproduzir-Se em outros corações e vidas. Educação, p. 104 – 106

Por Juliana C. Oliveira – Missionários em terras distantes

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...