Germinados: aprenda seus benefícios e como fazê-los – por Fernanda Santos

Print Friendly

germinação é o início de um processo que leva a semente a se tornar uma planta, aumentando assim, imensamente seus valores nutricionais. Quando um grão tem água, oxigênio e calor necessários, germina para formar um novo ser vivo.

Ao consumir um alimento germinado, ingerimos um alimento com alto teor de proteínas, vitaminas, minerais e fibras em sua forma mais fácil de digestão, pois quando o alimento está no período da germinação há liberação de várias enzimas (substâncias vitais responsáveis pelas reações químicas que ocorrem no interior das células) facilitando, desta forma, a absorção dos principais nutrientes do grão. Também melhora a digestão do amido a da proteína, pois a germinação quebra o amido concentrado em carboidratos simples e a proteína em aminoácidos livres.  

As vitaminas do complexo B também aumentam exponencialmente.

Ocorre também a redução dos chamados fatores antinutricionais (que prejudicam a absorção de nutrientes pelo organismo), como o ácido fítico (fitato) e o tanino, encontrados nos cereais integrais, feijões e oleaginosas.

Outros benefícios:
  • os germinados tem alto teor de nutrientes antioxidantes, combatendo os radicais livres e, consequentemente retardando o processo de envelhecimento;
  • melhora a qualidade da pele;
  • preveni o surgimento de doenças, pois fortalece o sistema imunológico e fornece energia ao organismo;
  • melhora o funcionamento intestinal, pois os grãos germinados são assimilados muito facilmente pelo nosso organismo e assim estimulam os processos digestivos e regeneram a flora intestinal;
  • seu consumo é indicado para pessoas com estômago sensível (há as que não toleram os grãos cozidos, mas aceitam bem os grãos germinados), pois são alimentos muito mais digestivos, visto o aumento das enzimas.
Alimentos que podem ser germinados
  • Grãos inteiros de cereais – arroz, trigo, centeio, aveia, cevada…

Obs.: Nos grãos de cereais germinados, os teores de alguns aminoácidos aumentam (entre eles a lisina que é um aminoácido essencial); e as proteínas insolúveis são solubilizadas, melhorando sua digestibilidade.

  • Sementes – quinoa, linhaça, abóbora, girassol, gergelim…
  • Oleaginosas – castanha do pará, castanha do caju, amendoim, amêndoa, nozes…
  • Algumas hortaliças – agrião, rabanete, alho, cenoura, beterraba…
  • Leguminosas- todos os tipos de feijões, ervilha, soja, grão-de-bico, lentilha…

(com exceção da lentilha, todas as leguminosas devem ser deixadas germinar por 48 hs e depois devem ser cozinhadas, para então comer. Assim aproveitamos ao máximo os nutrientes)

Veja na figura abaixo o grão de bico germinado, pronto para serem cozidas:

Como consumir os germinados:
  • Em saladas cruas;
  • Adicionados em sucos, pães, massas, sobremesas, tortas salgadas, bolinhos de vegetais, biscoitos, patês;
  • Com frutas;
  • Com leite de cereal;
  • Formando parte de diversos pratos cozidos (guisados, sopas…), neste caso adicione no final para não perder as propriedades.
Modo de germinar o grão:
  1. Colocar de 1 a 3 colheres de sopa em um vidro (tipo de conserva) com água filtrada, tampando o vidro com um filó e prendendo-o com um elástico. Deixar de molho de um dia para outro.
  2. Ao amanhecer escorra a água e lave os grãos – não retirar os grãos do vidro, lavar com o filó preso ao vidro. Após lavar, não colocar água novamente, deixar os grãos apenas umedecidos com a abertura do vidro inclinado um pouco para baixo para os grãos não ficarem com água no fundo do pote. Lavar a noite também do mesmo modo.
  3. Faça esse processo por aproximadamente três dias – lavar de manhã e a noite e deixar os grãos umedecidos com a abertura do vidro inclinada um pouco para baixo. Após esse processo, você verá os grãos germinados.

Obs.: o tempo de germinação pode variar de acordo com o grão, a temperatura e o ambiente. Por exemplo: o gergelim leva de 2 a 3 dias, já o arroz de 4 a 5 dias.

Veja na figura abaixo o processo de germinação das sementes de trigo: