Seu filho não gosta de comer vegetais? Aprenda a reverter essa situação

Primeiramente precisamos entender que os filhos aprendem por imitação e não por discurso, intimidação ou barganha. Portanto, os pais precisam, antes que os filhos, mudar não só o que comem, mas como se referem ao que comem e ao que deixaram de comer. Por exemplo, pais que se tornaram vegetarianos, mas continuam manifestando saudades da comida cárnea, estão passando que tipo de mensagem para os filhos? Ou, se agem como sendo um sacrifício comer o que é saudável, como esperam impressionar positivamente seus filhos sobre o que é certo? Os filhos acreditam em seus pais e eles absorvem o que lhes é transmitido muito mais do que imaginamos, mesmo quando não verbalizamos.

Bem, se você como pai ou mãe já aprendeu a gostar do que é natural e saudável, agora tem condições de esperar que seus filhos aprendam o mesmo. O segundo passo é não ter qualquer opção de comida insalubre em casa, isto é, nada ruim na despensa, nem para finais de semana, visitas ou emergências. A reforma alimentar não começa na mesa, mas no supermercado. O apetite tem sido um campo de batalha do inimigo das almas, onde muitos sucumbirão por não o entregarem a Deus (ver 1 Coríntios 10:31); foi onde nossos primeiros pais falharam, foi a primeira tentação de Jesus, e é onde a maioria cai, com consequências terrenas e eternas.

Se os filhos já possuem discernimento, então cabe explicar-lhes as razões pelas quais devem comer bom alimento, ou até mesmo dar-lhes como tarefa essa pesquisa (indiquem fonte confiável). Mas se ainda são pequenos, o melhor é ensiná-los a obedecer. Promessas como “se comer isto, ganha aquilo” ou comparações com outras crianças são nocivas à formação do caráter. Não deve haver negociação na refeição, pois princípio não é negociável.

O melhor tempero é a fome. Muitos alimentos ficam deliciosos quando estamos com fome. Esse tempero é um grande aliado dos pais que desejam educar seus filhos corretamente. Deixe-os sentir fome. Crianças normais não irão morrer ou adoecer por ficarem uma ou duas refeições sem comer. O choro por comida ruim quando há alimento saudável será em breve transformado em melhor saúde e respeito pelo que é certo. Não se impressione com o choro, basta não perder a paciência e continuar tratando com amor e firmeza. Logo os mimados irão dar grande valor ao alimento natural. Vai depender da firmeza dos pais. Há crianças que comem cebola  e vagem crua com muito gosto; tudo depende da educação.

Duas ou três refeições por dia e nada entre elas a não ser água tem sido uma bênção para muitas crianças. Nem suquinho, frutinha, chiclete, biscoito, etc. entre as refeições. Nada de alimento, só água! Esse aspecto é muitíssimo importante para o sucesso dessa empreitada. E nada de líquido durante as refeições. Lembre-se a quem cabe dar o exemplo! Os mais velhos devem ser servidos primeiro, isso ensinará as crianças o respeito e qual o lugar que ocupam na hierarquia familiar. O serem deixadas por último contribuirá para que desejem o alimento. Alguns minutos de espera não prejudicam, ao contrário, ajudá-los-ão a desenvolver o domínio próprio e a paciência. Os filhos precisam aprender que comer não é um favor que fazem aos pais, mas um privilégio, e dos grandes! Não aplauda ou comemore se seu filho comeu corretamente, criança é bastante esperta para tirar vantagem das fraquezas dos pais. Faça o prato de seus filhos sem perguntar o que eles querem, lembre-se: você está no comando. Coloque pouca comida no prato das crianças, deixe que peçam mais, mas só dê qualquer repetição se o prato foi completamente esvaziado. Na repetição eles podem escolher.

Ao servir os alimentos, coloque primeiramente à mesa apenas os crus. Depois que os crus foram comidos fartamente por todos, então os cozidos podem ser servidos. Essa regra vale para todas as refeições. Os vegetais devem estar bem apresentáveis e temperados. Muitas vezes os vegetais são deixados de lado pelas crianças (e também pelos adultos) porque são servidos sem qualquer esmero. Apresentação é importante, e o sabor ainda mais. Chuchu cozido na água e sal, cortados de qualquer forma e gelado é bem diferente de chuchu temperado com azeitonas pretas e aipo, quentinho e dentro do possível cortados simetricamente. Certa vez uma criança que nunca havia comido chuchu em sua casa, quando nos visitou comeu com alegria porque estava cortado em forma de estrela. As frutas também devem ser bem apresentadas e se for o caso com um pouco de mel. Gradativamente as crianças irão desenvolvendo gosto pelo que é natural, mas para isso, adeus salgadinhos, guloseimas, refrigerantes, chicletes, balas, bolos, lanches, etc.

Acima de tudo, ore a Deus pedindo a direção do Espírito Santo para ter sabedoria, paciência e amor ao educar primeiramente seu apetite e depois de seus filhos. Louvado seja o Senhor porque podemos contar com a graça perdoadora e transformadora de Jesus, nosso Salvador e Senhor, que nos prometeu poder para vencermos qualquer batalha. Quem prometeu é fiel e poderoso. Confie nEle, faça a sua parte e a vitória será certa. Tudo que é de bom vem de Deus.

Por Mauro Carnassale

Gostou deste conteúdo? Então faça o download do nosso livro digital gratuito...

Gostou deste conteúdo? Então conheça agora o nosso método para se tornar vegetariano...

Gostou deste conteúdo? Então assista esta super aula online que nós preparamos para você...

Gostou deste conteúdo? Então assista esta super aula online que nós preparamos para você...