7 razões pelas quais os derivados do leite podem afetar sua saúde

Carol_Leite

Sou publicitaria, e devo confessar que, durante o tempo de estudos na faculdade, aprendemos muitas estratégias de vendas um tanto agressivas, bem sucedidas e lucrativas para as multinacionais. No entanto, depois de me formar e me tornar mãe, alguns conceitos e práticas alimentares foram mudando e, ao começar a ler mais sobre o leite e seus derivados, passei a ficar assustada com as informações que coletei. 

A seguir, citarei 7 razões pelas quais os derivados do leite podem afetar não somente seu sistema imunológico — causando doenças respiratórias, mas também como o leite e seus derivados podem estar por trás de uma pandemia de diabetes e obesidade de ordem mundial.

 

  1. O LEITE EM PÓ NÃO POSSUI ANTICORPOS E NÃO SUBSTITUI O MATERNO: A falta de higiene e a água de má qualidade na preparação da fórmula podem causar grandes problemas para os bebês (diarreia, refluxo e sobrepeso) e, como a própria UNICEF confirma, podem ser a causa de óbito de milhões de crianças. Tal como o indica o escândalo protagonizado pela multinacional Nestlé que, com um marketing agressivo, levou milhões de mulheres a deixar o aleitamento materno a partir da década de 30, época em que a Dra. Cecily William1 atrelou ao leite de vaca a morte de infantes, e esta denúncia somente foi concretizada na década de 70 pelos protestos realizados pela ONG War on Want localizada em Londres. No meu caso, mesmo amamentando minhas gêmeas até os seis meses, ao introduzir na sua dieta derivados do leite — como o queijo e iogurtes — o seu sistema respiratório ficou muito afetado nos primeiros 2 anos de vida.
  2. acelerando o aumento de mucosidade nas vias respiratórias, provocando otite, sinusite e rinite — todas estas enfermidades são processos inflamatórios – e, se esse habito começa na infância, os estudos feitos pelo doutor Fábio Ferreira (descritos no jornal de pneumonia2) apontam o aumento de doenças como a asma e a rinoconjuntivite alérgica. Aqui em casa, após retirarmos o leite e seus derivados, as crianças tiveram uma notável melhora em seu sistema respiratório e, consequentemente, muitas viroses foram evitadas.
  3. UM COPO DE LEITE CONTÉM MUITO MAIS DO QUE CÁLCIO. Um copo de leite tem 135 milhões de bactérias, antibióticos, fezes, 51 ml de colesterol, entre outros. Além disso, você também encontrará a não muito falada caseína que, ao entrar no corpo, funciona como um ópio ativando a dopamina, hormônio responsável pelos movimentos do corpo, aprendizado, humor e memória. Lembro que alguns dias atrás uma casal de amigos comentava como a neta deles tinha aumentado rapidamente de peso e entrado num estado de letargia física após iniciar o consumo de leite em pó. A bebê parecia estar sempre sonolenta e, aparentemente, feliz. A mesma falsa sensação de felicidade e pesadez que sentimos após uma feijoada bem carregada! Aqui em casa, quando fizemos os exames de rotina nas crianças, foi detectado que uma das gêmeas que consome mais folhas verdes e feijões apresentou níveis de cálcio acima da média, o que surpreendeu gratamente a nossa pediatra e glorificou o nome de Deus, nosso Médico dos médicos.
  4. O QUEIJO É CONSIDERADO TÀO VICIANTE QUANTO A COCAÍNA. É isso o que revelou o mais recente estudo feito pela Universidade de Yale, em Michigan, onde foram realizados estudos com 500 estudantes, os quais apontaram a famosa pizza como o alimento mais viciante. Todavia, o que o estudo descobriu é que a verdadeira vilã é a caseína do queijo, que aumenta os opiláceos do corpo, os quais liberam o aumento da dopamina, conhecida como a molécula da motivação. A dopamina nos permite planejar com antecedência e resistir aos impulsos, para que possamos alcançar nossos objetivos.  Quando ela está em aumento agimos por impulso e, por isso, não conseguimos parar de comer o “bendito” do queijo. A escritora norte-americana, Ellen White, escreveu há mais de 150 anos o seguinte: “O leite que se usa deve ser perfeitamente esterilizado; com esta precaução, há menos perigo de contrair doenças por seu uso. A manteiga é menos nociva quando comida no pão do que empregada na cozinha; mas, em regra, melhor é dispensá-la inteiramente. O queijo é ainda mais objetável; é totalmente impróprio como alimento.” Ciência do Bom Viver, p. 125.Aqui no Portal temos deliciosas alternativas para você deixar de lado esse vilão e ser feliz. Clique aqui
  5. PAÍSES COM MAIOR INGESTÃO DE LEITE E SEUS DERIVADOS TÊM MAIORES PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS. Foi o que comprovou o estudo feito na Europa em 2012, onde países como Grécia, Dinamarca e Espanha reportaram aumento no número de mortes por problemas respiratórios. Tais locais são reconhecidos pelos cardápios cheios de queijos, frutos do mar e gorduras de origem animal.
  6. LEITE E QUEIJO ENGORDAM, e não sou eu quem o diz, e sim a OMS que fez a listagem dos 10 países onde se encontram as pessoas mais magras e grande parte das pessoas, além de fazer maior atividade física, como caminhadas, não possui em seu cardápio diário o consumo de queijos ou leite de vaca. Os três primeiros são Japão, Cingapura e China. Minha família, na transição ao vegetarianismo estrito, aumentou de peso de forma acelerada após cessarmos o consumo de carnes, devido ao aumento do leite e queijo nas nossas receitas. Devo confessar que foi a pior fase desta mudança alimentar. Graças ao bom Deus, meu esposo e eu conseguimos eliminá-los de nossa dieta e perdemos, sem muito esforço, 10 quilos cada um.
  7. DIETAS VEGETARIANAS ESTRITAS SÃO A SOLUÇÃO PARA A DIABETES E A OBESIDADE. Essa é a conclusão do Dr. Neal Barnard3, o qual perdeu seu pai como consequência de uma diabetes que, mesmo controlada com medicamentos, levou seu pai à morte. Após muitas pesquisas, o Instituto de Diabetes da Virginia entrou em contato com o Dr. Neal para tentar outra alternativa para fazer regredir a diabetes, pois os estudos feitos com ratos não tinham funcionado. Depois de muitos anos de pesquisas, o Dr. Neal chegou a conclusão que países como o Japão e a China apresentam os menores índices de diabetes e obesidade no mundo e isso se deve ao estilo de vida da maioria da população. A ingestão de leite e derivados aumenta a gordura no corpo, descalcifica os ossos e danifica os rins. Ao tirarmos do cardápio o leite e seus derivados, essas doenças em pacientes primários simplesmente desaparecem! Minha caçula é a mais forte das 4 meninas, já nasceu num estilo de vida vegetariano e seu sistema imunológico é bem resistente. Com um ano e meio ainda está sendo amamentada e tenho a certeza de que não precisará de leite de vaca para crescer.

 

Para finalizar, faço minhas as palavras da escritora Ellen White: “A reforma dietética deve ser progressiva. À medida que as doenças aumentam nos animais, o uso de leite e ovos se tornará cada vez menos livre de perigo. Deve-se fazer um esforço para os substituir com outras coisas que sejam saudáveis e pouco dispendiosas. O povo de toda parte deve ser ensinado a cozinhar sem leite e ovos, isso o quanto possível, fazendo não obstante comida saudável e gostosa.” — Conselhos para a Igreja, p. 229.

Fontes: 

1 http://www.theboycottbook.com/thebuildup.pdf

2 http://www.jornaldepneumologia.com.br/detalhe_artigo.asp?id=400

3 http://conversationswithgreatminds.com/video/great-minds-dr-neal-barnard-can-you-reverse-disease-p2

Assinatura_CarolHein

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...