10 benefícios da alimentação vegetariana infantil

Carol_CriancasVegetarianas

Você já foi com seus filhos a um restaurante e ficou encantado porque eles comeram um prato cheio de verduras e legumes? E que tal ficar livre de consultas médicas extras ou suplementos alimentares para ajudar a aumentar a imunidade do seu filho? Ou experimentar sair de compras com a criançada e voltar para casa com sacolas cheias de coisas saudáveis, e o melhor, sem ter que presenciar as birras dos pequenos no caixa do supermercado implorando para você comprar aquele chocolate da prateleira?

Veja a seguir os 10 benefícios da alimentação vegetariana infantil que temos experimentado aqui em nossa casa. Você se surpreenderá com os resultados físicos e, sobretudo, espirituais:

1. Grávida charmosa, saudável e com o peso certo: Se você está grávida ou pretende engravidar, dê a chance a seu novo bebê de ser mais feliz e deixar seus dias mais tranquilos. Uma gravidez rica em frutas, cereais integrais e castanhas evitam riscos de infecção urinária (muito frequente nessa fase da vida!), pois a digestão se torna mais fácil aliviando o trabalho dos rins. Se, além disso, você combina sua dieta com caminhadas leves ou exercícios de baixo impacto, o seu bebê deixará você dormir em paz e você estará sempre disposta e linda.

2. Leite materno foi feito para seu bebê e é uma ótima forma de perder peso. Continue com uma dieta vegetariana variada e forneça para seu bebê o que você tem de melhor: seu leite. Crie hábitos de regularidade na sua alimentação e na do bebê. Amamente-o e, assim, evitará que seu bebê tenha refluxo, cólicas e assaduras, pois se seu leite é saudável, o seu bebê também o será. A amamentação exclusiva (no mínimo, 6 meses!) nesse período garante, sim, todos os nutrientes para seu bebê. E para você, 10 quilos a menos, sem esforço.

3.  A partir dos seis meses pode dar doce! Sim, o melhor e mais gostoso alimento que Deus fez foram as FRUTAS! Doces, coloridas, com diferente formatos e texturas, e adivinhem? Para todos os gostos. Não espere que seu bebê goste de todas elas, pois nem você mesmo as come. Aqui em casa, as top 5 são: melancia, banana, melão, mamão e goiaba. Lembre que nossa língua tem, logo na ponta, as papilas gustativas, que detectam o sabor das coisas doces. Portanto, varie os sabores e as cores, isso fortalecerá a saúde de seu filho. E claro, experimente você também! Eduque pelo exemplo.

4. Crianças com um paladar mais refinado e aguçado. Porque existe um mundo além do pão com manteiga! A globalização é maravilhosa, pois nos aproxima de culturas, sabores e texturas diferentes sem sair de nossa casa. Seja criativa. Aqui em casa entram pratos árabes, italianos, mexicanos e, claro, colombianos. Pare de imitar velhos hábitos como o pão francês com o copo de leite e achocolatado (que espero esteja fora do seu cardápio após ter lido nossa matéria sobre o leite e seus derivados!). Coma também frutas, sanduíches, mingaus, granola, suflês, lasanhas, grão de bico, saladas, sopas, etc. Claro, não tudo na mesma refeição, mas como disse a escritora americana Ellen White: “O cardápio deve ser variado. Os mesmos pratos preparados da mesma maneira não devem aparecer à mesa refeição após refeição, dia após dia. O alimento é tomado com mais prazer, e o organismo mais bem nutrido, quando é variado.” — A Ciência do Bom Viver, 300.

5. Crianças com o sistema imunológico mais forte. Uma alimentação variada, e vegetariana, ajudará a você se livrar de consultas extras ao pediatra. Nossas crianças foram ao pediatra nos primeiros meses até que um dia, ele nos disse assim: “Elas são crianças muito saudáveis, somente venha aqui quando ficarem doentes. Nossas gêmeas somente foram ao hospital uma vez, e foi por um corte feito no queixo ao pular de uma piscina. As outras duas, nunca. Mas sempre há as dúvidas implantadas pelos amigos carnívoros: “De onde vem as proteínas?” Dos grãos! “E o cálcio?” Das folhas verdes escuras! “E o ferro?” Da combinação dos dois primeiros (grãos e folhas) com vitamina C que estão presentes não somente na laranja e limão, mas nos brócolis, tomates e melões, entre outros. Quando confiamos no cardápio original de Deus (ver Gênesis 1:29), os resultados são sempre os melhores.

6. Crianças que amam de verdade os animais, pois aprenderam que eles foram criados para nos fazer companhia e dar alegria. Aqui em casa, as meninas criam coelhos, galinhas e cachorros, e alimentam os bois dos vizinhos (e ainda querer ter cabra e cavalo para dar de comer), aprendem a compartilhar as cascas das frutas e os restos das folhas verdes que ficaram mais murchas. Nada se perde, tudo se transforma. Até o nosso insensível coração.

7. Futuros MasterChef Junior. Parte da transição ao vegetarianismo implica que pais e filhos terão que gostar de cozinhar. Façam juntos receitas e despertem o amor pela culinária no coração de seu filho! Cultivem juntos uma pequena horta. Isso ajuda no quesito verduras. Aqui em casa, as crianças de 8 anos preparam saladas, picolés naturais, pães e bolinhos saudáveis.

8. Crianças vegetarianas ajudam o planeta e a outros, pois estão contribuindo para a preservação do meio ambiente. Conforme escreveu Eduardo Sanchez em seu artigo “Carne: A nova vilã do planeta”: ”Somente a diminuição do consumo, e consequentemente da produção de carne já é um grande passo na preservação do nosso planeta, como também da preservação das próximas gerações. Os estudos sugerem que vivendo em um mundo vegetariano, por mais utópico que pareça, ganharíamos mais espaço para cultivar e habitar. Se destacarmos que mais da metade da água potável e da produção de grãos é destinado apenas a pecuária, este mundo teria muito mais água e comida para alimentar as pessoas.”

9. Crianças vegetarianas não fazem manha. Muitas vezes quando vou ao mercado com minhas 4 filhas, ouço as seguintes perguntas: 1) Vocês revendem frutas e verduras? (Isso acontece devido às abundantes e variadas quantidades que comemos semanalmente) e, 2) Como você consegue fazer feira com 4 crianças sem estresse? A resposta para ambas as  perguntas: Porque elas são vegetarianas. Obviamente, nossa vida mais calma em meio à natureza contribui, bem como a regularidade na alimentação (somente 3 vezes ao dia) e a não ingestão de açúcar refinado. Tratando desse tema, Ellen White escreve: “O cuidado e a regularidade na alimentação dos pequeninos não somente promovem a saúde, tendendo assim a torná-los sossegados e mansos, mas lançarão o fundamento para os hábitos que lhes serão uma bênção nos anos posteriores.” — A Ciência do Bom Viver, 383.

 

10. Crianças equilibradas e acima da média! Todos os pais sonham com crianças melhores e, por isso, temos duas notícias a dar: uma boa e a outra excelente: A boa é que a mudança no paladar das crianças ocorre mais rapidamente que na dos adultos. A notícia excelente é que estamos preparando nossos filhos para serem melhores cidadãos. Reflitamos na seguinte citação:Nossa geração está cercada de atrativos calculados a tentar o apetite… Aqueles que, como Daniel, recusam corromper-se receberão a recompensa de seus hábitos de temperança. Com seu maior vigor físico e aumentado poder de resistência, têm um Banco, para depósito, do qual podem sacar em caso de emergência. Hábitos físicos corretos promovem a superioridade mental. O poder intelectual, o vigor físico e a longevidade dependem de leis imutáveis.” — Orientação da Criança, 258

 Assinatura_CarolHein

Gostou deste conteúdo? Então assista o nosso mais novo vídeo...