Os males do glúten: por que ele faz mal para nosso organismo?

Print Friendly

Soena_Gluten

Manter a ordem, em vez de corrigir a desordem, é o princípio básico da sabedoria. Cu- rar a doença depois que ela aparece é como cavar um poço quando se tem sede, ou, for- jar armas com a guerra iniciada. Nei Jing, século II a.C.

Alimentação é tão importante quanto o ar que respiramos. E, para ser saudável, este estado de condição, passa necessariamente, pelo alimento que ingerimos, hábitos de vida.

Acreditem, muitas doenças acontecem, porque somos displicentes, em não buscar conhecimento sobre o que estamos comendo.

Todos nós deveríamos criar o hábito de não confiarmos 100% em nenhuma informação, deveríamos pesquisar o assunto em diversas fontes, para termos uma noção clara e imparcial sobre o assunto em questão, então, termos a nossa própria conclusão. O conhecimento no liberta do cárcere da ignorância, então, quando temos o conhecimento optamos de forma consciente e responsável. Assim, criamos mais possibilidades de vivermos prazerosamente, com o menor risco possível, de estarmos contribuindo para que fiquemos doentes.

No caso do trigo, por séculos, ele foi cultivado, sem nenhum problema que causasse danos à saúde.

A base da alimentação dos nosso ancestrais, antes do surgimento da agricultura era, segundo o Dr. David Permute: 75% de gordura 20 % de proteína e 5% de carboidratos. Hoje: 20% de gordura 20% de proteínas e 60% carboidratos. Ele afirma que: nossas doenças crônicas contemporâneas, pela lente de um denominador comum é o processo inflamatório, alerta também que, umas das origens de problemas cerebrais, em muitos casos, é predominantemente alimentar.

Estamos tão condicionados nos alimentar com trigo, que só em pensar em tirá-los da nossa dieta, pode ser doloroso. Porém, a partir das informações e, da conta que pagamos, ficando doentes, é um incentivo buscar alternativas.

O pão e outros alimentos, preparados com o trigo, sustentam os seres humanos a séculos. A partir da década de cinquenta, do século passado, começaram os experimentos em laboratório, ou seja, esse trigo de hoje, já não é nem sombra do original. É apaixonante e, ao mesmo tempo assustador, descobrir que, ao comermos um pãozinho, estamos envenenando nosso corpo.

Parece um tanto radical, por favor, você que está lendo este artigo, pesquise não só sobre se o glúten faz mal ou não. Questione-se sobre como você se alimenta, busque a informação, para seu bem-estar e da sua saúde.

Preste atenção no que o Dr.Willian Daves, em seu livro Barriga de trigo, diz: O trigo é um dos poucos alimentos que conseguem alterar o comportamento, provocar prazer e gerar a síndrome de abstinência ao ser eliminado da dieta. Foi preciso observar pacientes esquizofrênicos, para que aprendêssemos, alguma coisa sobre esses efeitos.

O trigo é o mais poderoso estimulador de apetite. Ele faz você querer cada vez mais biscoitos, cupcakes.balas, refrigerantes. Ele faz você querer, tanto alimentos que contenham trigo, quanto os que não contém. E, para algumas pessoas o trigo é uma droga, ou, pelo menos provoca efeitos neurológicos específicos, semelhantes aos produzidos por drogas. Porém, podem ser neutralizados com medicamentos usados para combater os efeitos narcóticos.[1]

Ele continua: Efeitos peculiares do trigo nos seres humanos, já documentados, incluem a estimulação do apetite, a exposição do cérebro a exorfinas (equivalentes às endorfinas, produzidas internamente), picos exagerados de açúcar, no sangue, que acionam ciclos de saciedade alternados, com um aumento do apetite, a glicação, processo que está por trás de algumas doenças e do envelhecimento, inflamações e alterações de pH, que provocam o desgaste de cartilagens e prejudicam os ossos, e a ativação de distúrbios nas respostas imunológicas.

Uma complexa série de enfermidades resulta do consumo de trigo, desde a doença celíaca, devastadora enfermidade intestinal, desencadeada pela exposição ao glúten, até uma variedade de transtornos neurológicos, diabetes, doenças cardíacas, artrite, estranhas urticárias e os delírios incapacitantes da esquizofrenia.

No livro, ele relata as experiências com seus pacientes, com a retirada do trigo na alimentação dos mesmos. Inclusive, pessoas com sobrepeso emagrecem.

Interessante, também, que ele traz toda a trajetória do trigo através dos séculos até hoje. Explica de forma didática, então, têm-se a percepção plena e contextual. Inclusive, analisa não só o glúten, mas tudo que envolve o trigo, desde a produção até o consumo humano.

Não deixe de ler o livro que, disponibilizamos o link do site para você baixar e ler. Peço, por gentileza, não deixe de lê-lo, você ficará sabendo de coisas que nem imagina, principalmente, como e o porquê devemos banir o trigo da nossa alimentação.

No caso do livro, ou melhor, temos que ler tudo, com espírito questionador, por exemplo: ele indica o uso da carne de porco, esta, jamais deveria ser parte do cardápio, caso queira mais detalhes, envie-nos um e-mail, teremos prazer em explicar o porquê. Por isso, é muito importante, sabermos tudo que pudermos sobre assuntos que envolvam nossa saúde, nosso bem mais precioso. Até os médicos não sabem tudo, erram, pois ninguém é infalível.

Seu cérebro pesa um quilo e meio e tem 150 mil quilômetros de vasos sanguíneos, pos -sui mais neurônios do que existem estrelas na Via Láctea; é o órgão mais pesado do seu corpo; pode estar sofrendo neste exato momento, sem que você faça a menor ideia, conforme Dr. David Perlmutter.

No livro, A dieta da Mente[2], ele foca os malefícios não só do trigo, mas de outros grãos, ao nosso cérebro. Ele afirma: uma dieta rica em gordura e pobre em carboidratos para atual, pobre em gordura e rica em carboidratos, basicamente constituída por grãos e outros carboidratos danosos — é a origem de boa parte das pragas modernas que assolam o cérebro, entre elas: dores de cabeça crônicas, insônia, ansiedade, depressão, epilepsia, transtornos motores, esquizofrenia, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e tantos outros episódios maiores que costumam ser o prenúncio de um sério declínio cognitivo e, de males cerebrais importantes, irreversíveis, intratáveis e incuráveis.

O fato de que nosso cérebro é sensível àquilo que comemos, vem circulando silenciosamente em nossa literatura médica de mais prestígio. É uma informação precisa que precisa chegar ao conhecimento do público, cada vez mais enganado, por uma indústria, que vende alimentos considerados “nutritivos”, afirma Perlmutter.

Ele afirma também que, não resta dúvida de que, um dos acontecimentos mais importantes e de maior impacto, no declínio generalizado da saúde cerebral, na sociedade moderna, foi a introdução do grão de trigo na dieta humana. Antes de chegar a conexão entre esses processos inflamatórios e o cérebro, proponho uma reflexão sobre aquilo que considero uma das mais monumentais descobertas de nosso tempo: a origem dos problemas cerebrais e, em muitos casos, predominantemente alimentar.

Os pesquisadores já sabem que o início de todas as condições neurológicas, inclusive transtornos cerebrais, são os processos inflamatórios. Eles então, começaram a pesquisar os desencadeadores destes. O estudo vem apontando que o glúten, dieta rica em carboidratos estão entre os que estimulam o mesmo e, que atingem o cérebro.

A possibilidade de você estar em vias de ser diabético, já está comprometendo parte da funcionalidade do seu cérebro no futuro.

O glúten ao chegar no intestino, segundo médicos, pesquisadores, transforma-se em uma espécie de cola, grudando nas paredes intestinais[3].Com o tempo transforma-se numa espécie de cola, que gruda nestas. Então, acontece a saturação do aparelho digestivo, aumento de gordura na região do abdome, dores articulares, alergias cutâneas e até depressão.

Alguns cientistas confirmam que um intestino sem glúten, produz serotonina, gerando alegria.

O celíaco tem intolerância ao glúten. Segundo, pesquisas um em cada 300 brasileiros tem a doença.

Como o assunto é muito amplo, é oportuno que o leitor pesquise. Indicamos sites, dois livros em PDF, e, links com sugestões de receitas, em PDF.

Enfim, conclua por você mesmo, não esqueça que, sua saúde depende muito do alimento que você põe na sua boca. Suas escolhas alimentares, em parte, definem o seu futuro. As decisões de hoje contribuirão ou, não, para termos uma vida, o mais agradável possível, sem doença.

Confesso que foi uma benção ter pesquisado sobre este assunto, não tinha noção ampla dos malefícios do glúten.

Uma das coisas mais prazerosas, nesta vida, é a libertação do cárcere mental, onde crenças, por vezes, podem ser um “vírus” invisível, um inimigo acariciado, sem termos a noção, tanto da existência deste, e, do quanto somos manipulados pelas crenças absorvidas, do que querem que acreditemos. E, o pior, minando nossa saúde física e mental.

Desejo que Deus nos dê sabedoria e entendimento para sermos sábios, na maneira como tratamos, o templo da nossa alma.

A ignorância letárgica é uma inimiga que, sequestra as possibilidades de termos a noção e clareza para optarmos pela melhor forma de vivermos. Viver tendo olhos para ver e não usufruirmos plenamente desta condição, engessa nossa “fabrica” da alegria.

Boa leitura, e boas decisões!

Até o próximo,

Abração,

Assinatura_Soena

Fontes:

PERMUTTER,David. A dieta da Mente.São Paulo:Paralela,2014

DAVIS Wiliian. Barriga de Trigo.São Paulo.204

http://drperlmutter.com./

http://www.senado.gov.br/senado/portaldoservidor/jornal/jornal70/saude_contem_gluten.aspx

http://www.huffingtonpost.com/dr-mark-hyman/gluten-what-you-dont-know_b_379089.html

http://glaucia-vivasemgluten.blogspot.com.br/2011/12/o-gluten-pode-estar-te-matando.html

http://www.realfarmacy.com/why-80-of-people-worldwide-will-soon-stop-eating-wheat/#!prettyPhoto

 

Vídeos

https://www.youtube.com/watch?v=zDEcvSc2UKA

https://www.youtube.com/watch?v=5JdiCnTOf2Y

 

Receitas sem glúten

http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/101014/1/Receitas-SemGluten.pdf

http://www.riosemgluten.com/sabores_da_cozinha_sem_gluten_josy_gomez.pdf

http://www.riosemgluten.com/viva_sem_gluten_receitas_faceis.pdf

http://www.riosemgluten.com/a_cozinha_sem_gluten_de_rejane_reis.pdf

http://www.mundoverde.com.br/UploadDocumentos/Sem_Gluten.pdf



[1] Disponibilizado em PDF: http://alma.indika.cc/wp-content/uploads/2015/04/Barriga-de-trigo-William-Davis.pdf

[2] Disponibilizamos o link para você baixá-lo, em pdf. http://minhateca.com.br/Ajunior/Livros/Psicologia+e+Psican*c3*a1lise/A+Dieta+da+Mente+-+DR+.+David+Perlmutter,62256308.pdf

[3] https://www.youtube.com/watch?v=zDEcvSc2UKA